Histórico

O Teatro Popular de Ilhéus é uma instituição cultural independente fundada em 1995 pelo ator, dramaturgo e diretor teatral Équio Reis. Durante esses 25 anos foram realizadas dezenas de montagens e intervenções artísticas em diversas comunidades e cidades brasileiras, chegando também a se apresentar na Europa. A primeira formação do TPI foi composta pelos atores Romualdo Lisboa, Tânia Barbosa, Fábio Silva, Franklin Costa, Tereza Damásio, Adelson Costa e Val Kakau. Em 2001, com o falecimento de Équio, a direção do grupo foi assumida por Romualdo Lisboa. Sua atual sede é a "Tenda Teatro Popular de Ilhéus", uma estrutura em formato de circo, localizada na Avenida Soares Lopes, bairro Cidade Nova, em Ilhéus (BA). Atualmente o grupo mantido pelo programa de Ações Continuadas de Instituições Culturais – uma iniciativa da Secretaria de Cultura da Bahia com recursos do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, mecanismo que custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado.

HISTÓRICO DO GRUPO

 

• 1995 – Estreia A estória engraçada e singela de Fuscão - o quase capão - e o cabo eleitoral, de Équio Reis.

• 1996 – Estreia A Via Sacra, de Henri Ghéon, que permanece em cartaz anos de 1997, 2001, 2002 e 2003.

• 1998 – Estreia O Bonequeiro Vitalino, auto natalino de Jurema Pena.

• 1999 – Estreia O Filhote de Espantalho, infantil de Eduardo Wadington.

• 2000 – Estreia O Boi e o Burro a caminho de Belém, auto natalino de Maria Clara Machado.

• 2001 – Équio Reis morre e Romualdo Lisboa assume a direção do grupo, montando no mesmo ano O Fiscal e a Fateira, de Équio Reis, em sua homenagem; estreiam também O Palácio Verde-Gaio, infantil de Júlio Cesar Ramalho, e Auto dos Navegantes, de Romualdo Lisboa.

• 2002 – Estreia Da História, as estórias de Gabriela e seu Amado, de Romualdo Lisboa; neste ano o TPI assume a coordenação da Casa dos Artistas e cria o Teatro Pedro Mattos, mais uma sala de espetáculo na cidade cuja estreia acontece com o espetáculo Sgnarello - O Corno Imaginário, de Moliére (Tradução de Miécio Táti), com direção de Romualdo Lisboa.

• 2003 – Estreia Pega pá capá, de Équio Reis e Franklyn Costa, com direção de Romualdo Lisboa; estreiam Ita Um Tupinambá em Busca do Manto Sagrado, de Romualdo Lisboa, e A Gema do Ovo da Ema, de Silvia Ortoff, espetáculos infanto-juvenis dirigidos por Tânia Barbosa; estreia O Quadro, de Romualdo Lisboa.

• 2004 – Estreia Lampiaço - O Rei do Cangão, com texto de Walmir José e direção de Tânia Barbosa; A estória engraçada e singela de Fuscão - o quase capão - e o cabo eleitoral recebe o Prêmio de Estímulo à Montagem de Teatro da Fundação Cultural do Estado da Bahia.

• 2005 – TPI recebe o Prêmio de Estímulo à Montagem de Teatro da Fundação Cultural do Estado da Bahia pela montagem de 4RUMO, texto e direção de Romualdo Lisboa com parceria da Escola Agrícola Comunitária Margarida Alves e traz no elenco estudantes, professores e técnicos da escola. No ano seguinte o espetáculo faz temporada de um mês na Áustria e Itália. Neste ano também se iniciam as comemorações dos 10 anos de TPI e é lançado o projeto Teatro de Todos os Dias, com palestras, encontros, leituras dramáticas, reunindo os anos de estudos sobre Teatro Épico e Teatro Popular. Estreia Os Fuzis da Senhora Carrar, de Bertolt Brecht com direção de Romualdo Lisboa.

• 2006 – Estreia Teodorico Majestade - as últimas horas de um Prefeito, com texto e direção de Romualdo Lisboa. A montagem integrou as manifestações durante o processo de cassação do então Prefeito de Ilhéus em 2007. Recebeu duas indicações ao Prêmio Braskem de 2008, melhor ator para Ely Izidro e melhor texto para Romualdo Lisboa. Em 2010, fez temporada no Rio de Janeiro, no Teatro de Arena da Caixa, através do edital de ocupação dos espaços da Caixa Econômica Federal.

• 2008 – O núcleo de teatro infanto-juvenil monta O Auto do Boi da Cara Preta, com texto de Romualdo Lisboa e direção de Tânia Barbosa.

• 2009 – O TPI inicia em janeiro a montagem de Vida de Galileu, de Bertolt Brecht e direção de Romualdo Lisboa, a convite do Núcleo de Astrofísica da Universidade Estadual de Santa Cruz; a estreia é em fevereiro de 2010, fazendo parte das comemorações dos 15 anos de existência do grupo, com uma busca mais radical dos estudos sobre Teatro Épico de Bertolt Brecht e das técnicas de Teatro Popular desenvolvidas pelo grupo.

• 2010 – O TPI recebe o Prêmio de Estímulo à Montagem de Teatro da Fundação Cultural do Estado da Bahia para montagem de Nazareno Contra o Dragão da Maldade, com texto e direção de Romualdo Lisboa.

• 2011 – O grupo é selecionado pelo SESI São Paulo, através do edital de montagens inéditas, para temporada em teatros do SESI durante o ano de 2011 com o espetáculo O Inspetor Geral, livremente inspirado na obra homônima de Gogol. Estreia no dia 13 de maio de 2011, no Teatro do SESI São Paulo, A. E. Carvalho. Nesse mesmo período é convidado pela Cooperativa Paulista de Teatro para participar da VI mostra Latino Americana de Teatro de Grupo, realizada de 26 de abril a 01 de maio de 2011, no Centro Cultural São Paulo. Faz temporada com Teodorico Majestade - as últimas horas de um Prefeito em Alagoas no mês de junho e inicia o processo de montagem do espetáculo Lendas da Lagoa Encantada, montado pela Cia Boi da Cara Preta – Núcleo para Infância e Juventude do Teatro Popular de Ilhéus. No mês de outubro volta para São Paulo onde realiza temporada com O Inspetor Geral no Teatro do SESI de Vila das Mercês até 31 de novembro. Em dezembro realiza temporada em Salvador pelo projeto verão cênico, realizado pela FUNCEB.

• 2012 – Estreia em fevereiro O Inspetor Geral no Teatro Municipal de Ilhéus; participa de 01 a 15 de abril do Fringe em Curitiba com os espetáculos Teodorico Majestade e O Inspetor Geral. Estreia o espetáculo Lendas da Lagoa Encantada. Recebe indicação ao Prêmio Shell de teatro, na categoria especial pela montagem de O Inspetor Geral. Recebe prêmio da FUNARTE para realizar temporada do Teodorico Majestade em 22 assentamentos, os quais percorre de maio a agosto de 2012. Participa do festival Cidade do Rio de Janeiro com O Inspetor Geral. Faz duas temporadas de O Inspetor Geral em Salvador, em junho e agosto. Participa como convidado com O Inspetor Geral do Festival Latino-americano de Teatro da Bahia, realizado em Salvador de 01 a 09 de setembro. Volta ao Teatro Municipal de Ilhéus com O Inspetor Geral e Teodorico Majestade. Reestreia o espetáculo Auto do Boi da Cara Preta. Inicia o processo de montagem do espetáculo 1789, em parceria com Associação Comunidade Tia Marita e apoio da Funceb.

• 2013 – Continua o processo de montagem de 1789, mantém em cartaz nos meses de janeiro a março os espetáculos Teodorico Majestade, Auto do Boi da Cara Preta e Lendas da Lagoa Encantada, no Teatro Pedro Mattos da Casa dos Artistas. Em abril o grupo sai da Casa dos Artistas e assume a administração de uma Tenda na Avenida Soares Lopes, um espaço maior, mais dinâmico e que oferece muitas possibilidades, porém com grandes problemas que o grupo teve que driblar para continuar as suas produções. Estreia em julho, na Tenda, o espetáculo 1789 – Ópera Afro Rock, sobre a revolta dos escravos do Engenho de Santana. Faz mais três temporadas nos meses de agosto, novembro e dezembro. Além disso, manteve em cartaz desde abril seus espetáculos Lendas da Lagoa Encantada, Auto do Boi da Cara Preta e Teodorico Majestade. Ainda reestreia O Inspetor Geral no mês de agosto na Tenda TPI e faz mais duas temporadas nos meses de outubro e novembro. Inicia no mês de setembro o projeto Cordel Itinerante – circulação de Teodorico Majestade e O Inspetor Geral, projeto apoiado pela Funceb através do Edital Setorial de Teatro da Secut/BA.

• 2014 – O grupo continuou mantendo uma programação diversificada na Tenda Teatro Popular de Ilhéus, com apresentação do seu repertório e recebendo alguns grupos e companhias do Brasil, a exemplo do Vilavox de Salvador e Boacha do Espírito Santo. Além disso, em agosto a dezembro realizou o projeto de ocupação do Teatro Castro Alves, em Salvador, TCA Núcleo 2014, em parceria com o Grupo Clowns de Shakespeare, de Natal/RN, com realização de várias atividades e também apresentação do repertório dos dois grupos em espaços administrados pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. Ainda montou e estreou, como resultado desse processo, o espetáculo Medida por Medida, uma livre adaptação do texto de Willian Shakespeare com dramaturgia e direção de Romualdo Lisboa e tradução de Fernando Yamamoto. Cumpriu temporada em Salvador e Ilhéus.

• 2015 – O Teatro Popular de Ilhéus completa 20 anos. Realiza a circulação de Teodorico Majestade – as últimas horas de um Prefeito pelas principais cidades da Região Cacaueira no primeiro e segundo semestres deste ano. Participou de diversos eventos culturais e ainda recebeu na Tenda TPI companhias de dança, música e teatro, como o grupo mineiro Galpão. Ainda, no início de dezembro lançou o aplicativo para smartphone, com a programação mensal da Tenda TPI. Além disso, participou do projeto Griô de Teatro de Rua, em Salvador, organizado pela Companhia de Teatro Griô, onde também apresentou o espetáculo Teodorico Majestade.

• 2016 – Reestreia em janeiro o espetáculo Medida por Medida, que cumpriu temporada durante todo o ano na Tenda TPI, além de fazer temporada em Ibotirama e participar do Festival Recife do Teatro Nacional/2016. Permaneceu em cartaz durante o ano com Teodorico Majestade - as últimas horas de um Prefeito.

• 2017 – Realizou o projeto de circulação “Shakespeare no Sertão” em 6 cidades do sertão baiano com o espetáculo Medida por Medida. Estreia nova concepção de Os fuzis da senhora Carrar, de Bertolt Brecht. O espetáculo é a primeira parte da Trilogia da Guerra, projeto de pesquisa da dramaturgia de Brecht, estruturado a partir de depoimentos de mães da periferia de Ilhéus.

• 2018 – Participa do Festival de Teatro da Caatinga com o espetáculo Teodorico Majestade - as últimas horas de um Prefeito. Circula, através do Programa Petrobrás Distribuidora de Cultura com o espetáculo Medida por Medida, nas cidades de Arapiraca, Maceió, Lagarto e Aracajú. Estreia Uma certa Mãe Coragem, segunda parte da Trilogia da Guerra, com dramaturgia de Paulo Atto, a partir da obra "Mãe Coragem e seus filhos", de Bertolt Brecht.

• 2019 – Estreia seu espetáculo de mamulengos Baltazar e a terrível peleja entre o Cangaceiro e o Coronel ou às vezes tem briga que termina em merda, com participação de Shicó do Mamulengo, que confeccionou cenários e bonecos. Participa do Sommerwerft Festival, em Frankfurt, Alemanha, com os espetáculos Teodorico Majestade e Baltazar.

• 2020 – Estão previstos para estrear neste ano as montagens Sonho de uma noite de verão - ópera brega rock para acordar do pesadelo, livremente inspirada na obra homônima de Shakespare, com texto e direção de Romualdo Lisboa, e A Santa Joana do Cacau, inspirada na obra “A Santa Joana dos Matadouros” de Bertolt Brecht, completando a Trilogia da Guerra. Por fim, para celebrar os 25 anos de existência do Teatro Popular de Ilhéus, será lançando ainda um livro que contará toda a história do grupo ao longo dessas duas décadas e meia de trajetória. Aguardado para o segundo semestre, a obra intitulada “A vida é uma rima” trará um ensaio biográfico do Teatro Popular de Ilhéus, escrito pelo crítico teatral e jornalista Valmir Santos. O livro traçará um histórico completo e relembrará momentos importantes que tornaram o Teatro Popular de Ilhéus uma referência cultural na Bahia.

© 2020 - Teatro Popular de Ilhéus (TPI) 

  • YouTube ícone social
  • Instagram ícone social
  • Facebook ícone social