HISTÓRICO

O Teatro Popular de Ilhéus surge em 1995, fundado pelo ator e diretor Équio Reis. Nesses 21 anos, foram dezenas de montagens e intervenções artísticas nas comunidades. Desde o inicio as manifestações da cultura popular sempre estiveram inseridas na tentativa de retomar a própria identidade cultural e o teatro popular como mecanismo de transformação social, além da pesquisa sobre o Teatro Épico de Bertolt Brecht. A primeira formação do teatro popular de Ilheus foi composta pelos atores: Romualdo Lisboa, Tânia Barbosa, Fábio Silva, Franklin Costa, Tereza Damásio, Adelson Costa e Val Kakau. A estreia do grupo é com a encenação de A estoria engraçada e singela de Fuscão – o quase capão - e o Cabo Eleitoral, de Équio Reis.

 

Linha do tempo:

  • 1995 -  A estoria engraçada e singela de Fuscão – o quase capão - e o Cabo Eleitoral, de Équio Reis;

  • 1996, 1997, 2001, 2002 e 2003 - A Via Sacra, de Henri Ghéon;

  • 1998 - O bonequeiro Vitalino, auto natalino de Jurema Pena;

  • 1999 – O Filhote de espantalho, infantil de Eduardo Wadington;

  • 2000 e 2001 – O Boi e o Burro a caminho de Belém, auto natalino de Maria Clara Machado;

  • 2001 – Équio Reis morre e Romualdo Lisboa assume a direção montando no mesmo ano O Fiscal e a Fateira, de Équio Reis, O palácio Verde-Gaio infantil de Júlio César Ramalho e Auto dos Navegantes, de Romualdo Lisboa;

  • 2002 – Da história às estórias de Gabriela e seu Amado, de Romualdo Lisboa. Neste ano o TPI assume a administração da Casa dos Artistas e cria o Teatro Pedro Mattos, mais uma sala de espetáculos na cidade cuja estreia foi com Sganarello – o Corno Imaginário, de Molière (tradução de Miécio Táti), direção de Romualdo Lisboa;

  • 2003 – Pega pá Capá, de Équio Reis e Franklin Costa; Ita – um Tupinambá em busca do Manto Sagrado, de Romualdo Lisboa e A Gema do Ovo da Ema de Sylvia Orthof, espetáculos infanto-juvenis dirigidos por Tânia Barbosa; O Quadro, de Romualdo Lisboa;

  • 2004 – Lampiaço – o Rei do Cangão, texto de Walmir José, direção de Tânia Barbosa; A estoria engraçada e singela de Fuscão – o quase capão - e o Cabo Eleitoral, de Équio Reis e direção de Romualdo Lisboa (essa montagem recebeu o Prêmio de Estímulo à Montagem de Teatro do Estado da Bahia);

  • 2005 – Recebeu o Prêmio de Estímulo à Montagem de Teatro do Estado da Bahia pela montagem de 4Rumo, texto e direção de Romualdo Lisboa em parceria com a Escola Agrícola e Comunitária Margarida Alves e trouxe no elenco estudantes, professores e técnicos da escola. No ano seguinte o espetáculo fez temporada de um mês na Áustria e Itália. Neste ano também se iniciam as comemorações dos 10 anos do TPI e é lançado o projeto Teatro de Todos os Dias – palestras, encontros, leituras dramáticas reunindo os anos de estudos sobre Teatro Épico e teatro popular, e a montagem e estreia de Os Fuzis da Senhora Carrar de Bertolt Brecht, com direção de Romualdo Lisboa;

  • 2006 – Montagem e estreia de Teodorico Majestade – as últimas horas de um Prefeito texto e direção de Romualdo Lisboa (a montagem integrou as manifestações durante o processo de cassação do então Prefeito de Ilhéus em 2007);

  • 2008 – Teodorico Majestade recebeu duas indicações ao Prêmio Braskem, melhor ator para Ely Izidro e melhor texto para Romualdo Lisboa. O núcleo de teatro infanto-juvenil monta Auto do Boi da Cara Preta de Romualdo Lisboa e direção de Tânia Barbosa, se iniciam as atividades da Cia Boi da Cara Preta;

  • 2009 – O TPI inicia em janeiro a montagem de Vida de Galileu de Bertolt Brecht e direção de Romualdo Lisboa, a convite do Núcleo de Astrofísica da UESC – Universidade Estadual de Santa Cruz – após um ano e um mês a montagem é concluída;

  • 2010 – A montagem de Vida de Galileu iniciada em 2009, teve estreia em fevereiro de 2010, fazendo parte das comemorações dos 15 anos de existência do grupo; o espetáculo Teodorico Majestade fez temporada no Rio de Janeiro, no Teatro de Arena da Caixa, através do edital de ocupação dos espaços da Caixa Econômica federal; o Teatro Popular de Ilhéus é selecionado em dois editais da Fundação Cultural do Estado da Bahia, Circulação com Teodorico Majestade e Montagem com Nazareno contra o Dragão da Maldade texto e direção de Romualdo Lisboa; estreia em novembro Nazareno contra o Dragão da Maldade;

  • 2011 – O grupo é selecionado pelo SESI – São Paulo, através do edital de montagens inéditas, para temporada em teatros do SESI durante o ano de 2011 com o espetáculo O inspetor gral – sai o Prefeito e entra o Vice; o Teatro Popular de Ilhéus participa da VI Mostra Latino-americana de Teatro de Grupo à convite da Cooperativa Paulista de Teatro com o espetáculo Teodorico Majestade; estreia no dia 13 de maio O inspetor geral no Teatro do SESI A.E. Carvalho, em São Paulo, onde cumpre temporada de 2 meses; faz curta temporada em setembro com o espetáculo Teodorico Majestade em Delmiro Gouveia, Alagoas; durante os meses de outubro e novembro, o grupo volta à capital paulista para nova temporada no SESI Vila das Mercês;

  • 2012 – O inspetor geral estreia em Ilhéus, faz temporada em Salvador e é indicado ao Prêmio Shell de Teatro – SP. O grupo faz temporada em Curitiba, abre o Festival de Teatro Cidade do Rio de Janeiro, participa do FILTE-BA. Ainda em 2012 circula com Teodorico Majestade por 22 assentamentos de reforma agrária. Estreia Lendas da Lagoa Encantada.

  • 2013 – O TPI deixa a Casa dos Artistas e, em parceria com o SEBRAE e Instituto Arapyaú, se instala num circo na Avenida Soares Lopes. A Tenda Teatro Popular de Ilhéus é, desde então, a nova sede do grupo. Estreia 1789, de Romualdo Lisboa.

  • 2014 – O grupo intensifica as ações de formação de público na Tenda. Ocupa o Teatro Castro Alves, em Salvador por 5 meses, através do edital TCA.Núcleo 2014. O projeto Shakespeare – Teatro Popular em Construção foi realizado em parceria com o grupo Clowns de Shakespeare, de Natal – RN, com realização de apresentações de espetáculos do repertório dos dois grupos, seminário, debates e oficinas, o projeto culminou na montagem de Medida por medida, de Shakespeare, com tradução de Fernando Yamamoto e dramaturgia e direção de Romualdo Lisboa.

  • 2015 – Estreia em Ilhéus Medida por medida. O grupo comemora os 20 anos de fundação com a montagem do espetáculo 3encena, com direção de Tânia Barbosa. O espetáculo traz à cena retalhos de montagens que marcaram a história do TPI.

  • 2016 – Reestreia Medida por medida. Faz temporadas em Salvador e Ibotirama. Encerra o Festival Recife do Teatro Nacional com os espetáculos Medida por medida e Teodorico Majestade, que comemora 10 anos em cartaz. Tem aprovado pelo Fundo de Cultura da Bahia o projeto Shakespeare no Sertão que de 10 a 30 de janeiro de 2017 circula em 6 cidades do sertão da Bahia.

© 2019 - Teatro Popular de Ilhéus (TPI) 

  • w-facebook
  • White Instagram Icon