Teatro Popular de Ilhéus ensaia novo espetáculo na zona rural


O Teatro Popular de Ilhéus (TPI) está retomando o processo de montagem do seu próximo espetáculo, “Sonhos... ou o que restou de nós depois da tempestade”, que será o primeiro a ser apresentado para o público de forma presencial desde o início da pandemia. Além de apresentações em praças públicas de Ilhéus, o espetáculo fará uma turnê pelo Sertão da Bahia. Ainda sem espaço apropriado para trabalhar, foi a Escola Agrícola e Comunitária Margarida Alves (EACMA) que abriu suas portas para que a equipe do TPI possa ensaiar.


Até lá, os trabalhos do grupo se dividem entre captar recursos para a construção da sua sede própria, no terreno doado pelos sócios remidos do Clube Social do Pontal, e o novo processo criativo. Ocupando de forma parcial e provisória o Teatro Municipal de Ilhéus, pois o terreno recentemente conquistado ainda não possui estrutura para as atividades, a nova montagem do grupo necessita, no entanto, de espaço amplo e em local aberto, pois se trata de um espetáculo na rua, com uso do “palco rodante” e cenários de grandes proporções.


Após diversas tentativas de conseguir a cessão de um espaço com as dimensões necessárias para os ensaios, foi na zona rural que o TPI encontrou a parceria perfeita. A Escola Agrícola e Comunitária Margarida Alves cedeu seu espaço para que a montagem seja preparada durante os próximos meses. A peça conta a história de um grupo de teatro que perdeu seu circo para uma tempestade e agora busca construir um novo espaço enquanto monta “Sonho de uma noite de verão”, de Shakespeare. Com ensaios agendados de segunda a sexta com todo o elenco, o Teatro Popular de Ilhéus se prepara para circular com seu novo espetáculo no final de março de 2022 pelas praças públicas de Ilhéus, e também por diversas cidades do sertão baiano com a segunda edição do projeto Shakespeare no Sertão, selecionado do Edital Setorial de Teatro 2019 da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb). A primeira vez que o TPI circulou com este projeto foi em 2017, apresentando o espetáculo “Medida por Medida”.


A parceria entre a Escola Agrícola Comunitária Margarida Alves e o Teatro Popular de Ilhéus não é inédita. Em 2005, montou o espetáculo 4RUMO, que teve estudantes, professores e técnicos da escola em seu elenco, conquistando inclusive o Prêmio de Estímulo à Montagem de Teatro da Fundação Cultural do Estado da Bahia. No ano seguinte o espetáculo ainda fez temporada de um mês na Áustria e Itália. Fundada em 1997, a Escola fica localizada no Sítio Flor do Iguape, na Rodovia Ilhéus-Uruçuca, e é uma entidade não-governamental e sem fins lucrativos, gerida pela Associação Servidora dos Pequenos Produtores (ASPP), que tem como objetivo principal, promover uma educação de qualidade para os filhos e filhas das famílias camponesas no Litoral Sul da Bahia. Atualmente, a EACMA acompanha estudantes e professores oriundos de municípios localizados nas regiões Baixo Sul, Sul e Extremo Sul da Bahia, sendo responsável técnica pelo Projeto de Capacitação e Assessoria Interdisciplinar em Alternância (CUIA), proposta de formação docente que atende as 21 escolas da rede AECOFABA. A Escola Agrícola conta ainda com a parceria das entidades como Terre des Hommes Suisse (TDH) e Katholischen Männerbewegung (KMB).



Relembrando a saga


Em função do isolamento imposto pela pandemia, o Teatro Popular de Ilhéus manteve suas atividades de forma virtual através de espetáculos transmitidos online via Zoom e através de seu canal no Youtube. Mesmo sem atividades presenciais, a Tenda abrigava o acervo com 26 anos de história do TPI. Até que no dia 26 de agosto de 2021 a lona desabou devido a uma forte chuva, obrigando o grupo a realocar todo o seu material às pressas. Desde então, seus figurinos, cenários, adereços, equipamentos de som e iluminação, documentos e até mesmo seu Palco Rodante foram abrigados em diferentes pontos da cidade, como o Centro de Convenções, a Concha Acústica e uma sala da Secretaria de Cultura do município.


Pouco tempo depois desse ocorrido, o TPI recebeu a doação de um terreno onde anos atrás funcionou o antigo Clube do Pontal. Pela primeira vez em sua história o grupo possui um local próprio para construir um teatro moderno e dinâmico. O espaço precisa ser construído para se tornar apto a receber atividades, pois atualmente se encontra sem telhado, piso, banheiros e tantos outros detalhes necessários para tornar o espaço seguro, funcional e acolhedor. Uma obra de tal magnitude exige recursos que o Teatro Popular de Ilhéus não dispõe e, nessa perspectiva, o grupo tem em vista pleitear recursos de editais públicos e iniciativa privada para tornar o sonho da sede própria uma realidade que beneficiará Ilhéus e região com o melhor da cultura.


Enquanto o sonho não se realiza, é necessário continuar trabalhando. O espetáculo “Sonhos” já vinha sendo montando antes da pandemia, e seus ensaios foram interrompidos devido às imposições do isolamento social, o que gerou novas adaptações ao projeto, que finalmente está sendo retomado para que o TPI reencontre seu público no palco outra vez.


____


O projeto "Shakespeare no Sertão" é financiado pela Secretaria de Cultura da Bahia (SECULT-BA) através do Edital Setorial de Teatro 2019 do Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FUNCEB), Governo do Estado da Bahia.


O Teatro Popular de Ilhéus é uma instituição cultural privada, parcialmente mantida pelo programa de Ações Continuadas de Instituições Culturais – uma iniciativa da Secretaria de Cultura da Bahia com recursos do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, Governo do Estado da Bahia, mecanismo que custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada.